Embratur

Notícias

Embratur reúne Comitê Descubra Brasil e prevê aumento de turistas peruanos ao país 04/12/2018

Embratur reúne Comitê Descubra Brasil e prevê aumento de turistas peruanos ao país

Para a presidente do Instituto, Teté Bezerra, o objetivo principal é integrar os destinos turísticos da América Latina para atrair mais turistas estrangeiros para a região, em especial o Brasil O número de turistas peruanos que visitaram o Brasil saltou de 56 mil em 2004 para mais de 115 mil pessoas em 2017, mas pode aumentar muito mais se houver uma cooperação efetiva entre os dois países na promoção conjunta de destinos brasileiros e peruanos. A avaliação é da presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Teté Bezerra, que está em Lima, capital do Peru. Teté está no país andino desde ontem (3), quando se reuniu com a diretoria da agência que promove o turismo no Peru (PromPerú) e representantes de operadoras e companhias aéreas. Hoje – acompanhada pela coordenadora de Inteligência Competitiva e Mercadológica da Embratur, Leila Holsbach – se reuniu com a diretoria do Comitê Descubra Brasil (CDB) no Peru, além de representantes de companhias aéreas e agências de turismo. As reuniões ocorreram na sede da embaixada do Brasil no Peru, em Lima. Um ponto comum em todas as reuniões foi o interesse claro dos peruanos em incrementar as relações com o Brasil. Para isso, consideram fundamental uma melhor conectividade aérea, bem como uma maior promoção dos destinos brasileiros dentro do país. “Os peruanos adoram o Rio de Janeiro, irão cada vez mais, mas sei que Gramado (RS) é lindo, e ainda tem a serra gaúcha, Florianópolis (SC), Salvador (BA) e Porto de Galinhas (PE). Os peruanos precisam descobrir”, admitiu a gerente do Comitê Descubra Brasil no Peru, Norma de Navarro. Além dos destinos citados por ela, Maceió, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Manaus, Pantanal, entre outros, também estão no radar dos peruanos. Atualmente, há voos para Lima partindo de Foz do Iguaçu, Fortaleza, Recife, Salvador, Manaus, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília. Manaus, inclusive, segundo a embaixada brasileira, pode em breve começar a operar voos também para Cuzco. Para Ximena Bastias, operadora de Turismo no Peru e integrante do Comitê, o destino Brasil hoje é acessível aos peruanos e desperta cada vez mais interesse. “Além de inúmeros atrativos, não é um destino caro. Está ao nosso alcance”, avaliou, lembrando que a realização da Copa América no Brasil, entre 14 de junho e 7 de julho, no ano que vem, com a presença da seleção peruana, vai ser uma ótima oportunidade para muitos visitarem o País. O embaixador Rodrigo Baena Soares é um entusiasta dessa aproximação. “Temos um fluxo já importante de turistas entre os dois países, mas há muito espaço para crescer”, indicou. Formados por representantes de agências de turismo, operadores e companhias aéreas locais (com apoio das embaixadas), os comitês criados pela Embratur se transformaram em grupos aguerridos em defesa do turismo brasileiro. No caso peruano, o grupo local chegou a criar uma fan page sobre novos destinos no Brasil e campanhas como “Vamos de Sierra Gaúcha”, um convite aos turistas para que conheçam o Rio Grande do Sul, em especial as vinícolas de Bento Gonçalves. Como há voos diários de Porto Alegre para Lima, o trade turístico local entende ser um roteiro estratégico a ser incentivado. Para o presidente da Associação das Agências de Viagens do Peru, Ricardo Acosta, membro do Comitê, a proposta de promoção conjunta de destinos turísticos feita pela presidente da Embratur à PromPerú, em reunião realizada ontem, é vista como um componente a mais para o avanço da parceria. “Isso seria bom para os dois lados, todos ganhariam”, avaliou Acosta. Segundo Manuel Van, CEO da Latam Airlines no Peru, hoje há vôos praticamente lotados com japoneses fazendo o roteiro Machu Picchu-Foz do Iguaçu. “Esses turistas já estão procurando esses roteiros naturalmente. Um incentivo consolida isso”, considerou. A ideia da Embratur, com sinalização positiva da PromPerú, é que, além de ações específicas para atrair peruanos ao Brasil, sejam criados grupos de trabalho nas duas agências, mapeando oportunidades de vendas casadas de destinos turísticos. Nesse cenário, um destino mundialmente famoso como Machu Picchu seria oferecido em mercados como o da Rússia, por exemplo, agregado a um ou mais destinos brasileiros. O Peru recebe anualmente mais de 4 milhões de turistas estrangeiros. Entre os que enviam turistas ao Brasil, ocupa a 14ª posição. Os maiores emissores ao Brasil são Argentina, Estados Unidos, Chile, Paraguai e Uruguai, ou seja, dos cinco mais relevantes mercados, quatro são latino-americanos.  “A meta é reforçar as ações de promoção do Brasil nos mercados já consolidados, como os de fronteira, Estados Unidos e Europa, mas temos que ter no radar mercados emergentes como o russo e o chinês, e o de oportunidades, como o peruano e o boliviano, entre vários outros”, explicou a coordenadora de Inteligência Competitiva e Mercadológica da Embratur, Leila Holsbach.

Notícias

Embratur promove ações no Peru e na Bolívia 03/12/2018

Embratur promove ações no Peru e na Bolívia

Novo modelo de representação do Brasil no exterior está em ação e mira avanço em voos internacionais Como anunciado no último mês de outubro, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) deflagrou hoje (03), em Lima, no Peru, o novo modelo de representação do turismo brasileiro no exterior. A nova prática consiste em utilizar o corpo técnico do Instituto para aprofundar ações de mercado e compartilhar inteligência comercial com os seus mais de 23 mil parceiros internacionais, entre operadores turísticos, companhias aéreas e agências de viagens. Além do Peru, a presidente da Embratur Teté Bezerra visitará, ainda, até a próxima sexta-feira, as cidades de La Paz e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. “Nessa primeira reunião já definimos que teremos grupos de trabalho envolvendo servidores da Embratur e PromPerú [responsável pela promoção turística do país]. O objetivo é a melhoria do fluxo de turistas entre os dois países”, informou a presidente, Teté Bezerra, ao reunir-se, na sede da agência peruana de turismo, com a diretora, Maria Soledad Acosta Torrely. Acompanharam o encontro a coordenadora de Inteligência Competitiva e Mercadológica da Embratur, Leila Holsbach; a gerente do Comitê Descubra Brasil no Peru, Norma de Navarro; o presidente da Associação das Agências de Viagens do Peru, Ricardo Acosta; e o representante da Embaixada do Brasil no Peru, Luiz Guilherme de Castro. A avaliação é de que o Peru, que atrai mais de 4 milhões de turistas estrangeiros por ano e tem atrações como Machu Picchu, Cuzco e a própria capital, Lima, com seus quase 9 milhões de habitantes, pode ser um parceiro na promoção conjunta, atraindo turistas de várias partes do mundo. “Nós temos, além do Rio de Janeiro, que desperta interesse imediato dos peruanos, a possibilidade de trabalhar outros destinos conjuntos, como a gastronomia paulista e os vinhedos do Rio Grande do Sul, atraindo não só peruanos como turistas de várias partes do mundo interessados em destinos agregados”, avaliou Teté, lembrando que a promoção conjunta já foi realizada recentemente com sucesso entre Brasil e Argentina, divulgando em feira promovida na China, as Cataratas do Iguaçu para cerca de 600 operadores de turismo. Para a diretora da PromPerú, Maria Soledad Torrely, a proposta brasileira é bem-vinda: “Pelo tamanho do mercado brasileiro, por nossas afinidades, temos muito interesse em uma ação conjunta”, informou ela, admitindo que a parceria estará entre as ações estratégicas do governo peruano. Três companhias aéreas (Avianca, Latam e Copa Airlines) fazem a ligação Peru-Brasil em quatro aeroportos: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Brasília. Consolidar esses destinos e abrir novas possibilidades de conectividade aérea estão entre as metas dos grupos de trabalho a serem criados. Reuniões para discutir a melhoria e o aumento dos voos entre os dois países já foram realizadas hoje, na Embaixada do Brasil em Lima com representantes das companhias que operam entre os países. Segundo a coordenadora da Embratur Leila Holsbach, essa abordagem de promoção do Brasil no exterior faz parte do novo modelo implementado, onde o corpo técnico do Instituto assume diretamente os contatos com os mercados emissores de turistas. “Vamos nos aproximar cada vez de todos os mercados estratégicos”, indicou. Nas avaliações que a Embratur vem realizando para mapear ações de trabalho, o desenvolvimento de uma malha aérea que ofereça preços melhores e mais ofertas de voos aparecem entre os itens importantes para o aumento fluxo de turistas estrangeiros no Brasil. O assunto foi abordado também no mês passado durante a WTM London, uma das maiores feiras de turismo da Europa, realizada em Londres, na Inglaterra. Na oportunidade, o Instituto discutiu meios para o aumento da conectividade com as companhias aéreas da Europa. A meta é garantir que o Brasil entre de vez na rota das aéreas de baixo custo. Os avanços recentes conquistados com a Norwegian, terceira maior da Europa, que já começou a vender passagens de baixo custo para o País, mostram que isso é possível. As conversas com as companhias aéreas, que majoritariamente atendem o mercado latino-americano, seguem essa mesma lógica. Novas ferramentas A dinâmica de promoção do Brasil no exterior acontece após cinco anos de mapeamento do mercado internacional por meios de contratos terceirizados. Nesse novo formato, o relacionamento com o trade internacional é feito diretamente pelo corpo técnico da Embratur em Brasília e nos mercados considerados estratégicos. As ações de promoção incluem workshops, roadshows e famtours. O novo modelo não interfere na continuidade das demais ações de promoção, como a participação nos calendários de feiras internacionais, relações públicas, publicidade, ações de segmentos, área digital, entre outras, que continuam sendo feitas normalmente. Cabe ao corpo técnico manter a produção de compartilhamento de inteligência comercial para a cadeia produtiva do turismo. Esses produtos revelam as tendências e as oportunidades nos países em que a Embratur atua e podem ser decisivos na tomada de decisões e fechamento de negócios. O item “malha área”, abordado em Londres e, agora, no Peru, é um deles.  A nova dinâmica reúne também informações como Panorama de Comercialização, Boletim de Inteligência Competitiva, entre outros. Nessa linha de modernização, a Embratur entende que a era digital chegou para valer. Por isso, lançou, este ano, uma campanha totalmente digital voltada para turistas da América Latina. O visto eletrônico para países como Estados Unidos, Austrália, Japão e Canadá resultou em aumento de 65% no número de e-visas desses países para o Brasil, quando comparado novembro de 2018 o mesmo período do ano passado. As novas plataformas digitais para o trade turístico e para o público final também marcaram essa tendência digital.  

Notícias

Trade lança campanha para promoção de São Paulo na Argentina 30/11/2018

Trade lança campanha para promoção de São Paulo na Argentina

Iniciativa visa atrair mais turistas argentinos para a capital paulista e combater a sazonalidade do setor e da rede hoteleira, especialmente, nos finais de semana A capital paulista recebe anualmente cerca de 15 milhões de visitantes, grande parte motivada por negócios e eventos. Pensando no aumento do turismo de lazer em São Paulo, que hoje é responsável por 25% deste público, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) e o Visite São Paulo lançaram nesta sexta-feira (30) a campanha promocional "São Paulo Una ciudad del mundo". O evento aconteceu no auditório do São Paulo Convention e Visitors Bureau. O projeto tem apoio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), São Paulo Turismo e secretarias municipais e estaduais do setor. A Argentina é um dos principais emissores de visitantes para São Paulo e, por isso, foi o primeiro país escolhido para dar início a campanha que busca aumentar o fluxo de turistas latino-americanos aos finais de semana para o Turismo de Lazer. O projeto será implementado em ambientes nos quais será exibido um filme, em 360°, com duração de 7 minutos, apresentando a cidade de São Paulo como uma grande metrópole das artes, cultura, moda, entretenimento, diversidade e gastronomia. O primeiro local definido é o Abasto Shopping, em Buenos Aires e deve ter início no primeiro bimestre de 2019. Para a presidente da Embratur, Teté Bezerra, a campanha veio no momento certo: "A conectividade aérea e todo o atrativo cultural, gastronômico e de natureza fará com que o argentino escolha cada vez mais o Brasil como destino. E ficamos muito felizes com esta campanha de São Paulo porque podemos mostrar e despertar o interesse dos turistas estrangeiros nesta cidade cosmopolita. A Embratur apoia esta ideia e temos certeza que vai contribuir no movimento econômico do Brasil", defende. O presidente da ABIH-SP, Bruno Hideo Omori explicou que a campanha pode ser ampliada para outros países. "A ideia é divulgar São Paulo não só para o trade, mas chegar no público final e gerar o interesse nos turistas internacionais pela capital paulista. A divulgação começa na Argentina, escolhido como destino prioritário, mas podemos expandir para toda a América Latina", explica. MERCADO ARGENTINO A Argentina é o principal mercado emissor de turistas internacionais para o Brasil. Em 2017, 2.622.327 argentinos visitaram o Brasil, 14,3% a mais que em 2016. O país vizinho responde por quase 40% de todos os turistas internacionais que o Brasil recebe anualmente. Em segundo ficam os Estados Unidos, com 475,2 mil viajantes e, na terceira colocação, o Chile com 342,1 mil pessoas, 5,2% a mais que 2016.

Videos

WTM Londres 2018

Londres, capital do Reino Unido, é palco da World Travel Market 2018, como é conhecida a maior feira de turismo do Reino Unido, e uma das mais importantes do setor na Europa. Este ano, a Embratur conta com a participação de 25 co-expositores brasileiros, entre empresários e destinos que apresentam atrações e toda a diversidade do turismo nacional.

Mais Acessadas

Banner Governo

  • Portal Visit Brasil
Voltar ao topo